quinta-feira, dezembro 03, 2009

Time Machine

Eu também tenho minha time machine. O único lugar neste mundo infinito em que me sinto completamente segura, aconchegada, feliz, realizada - ainda que banhada em lágrimas, - neste lar. Através das melodias, através das memórias, através do passado e de tudo que construí até aqui... Através dos meus erros, medos e alegrias consegui blindar este espaço com flores, gotas de chuva e sons.... O vento arrebenta meu coração partido, a saudade me dilacera a alma, os sonhos me confundem e me fazem acordar perdida e sofrida, a angustia de tudo aquilo que nunca mais será... A sensação de ver a vida passar diante dos meus impotentes olhos podem me estrangular de dor, podem me fazer ajoelhar e chorar como uma criança assustada, mas nada pode me tirar este lugar. Eu lembro-me agora do ano de 1999, quando fazia uma trilha na Chapada Diamantina, mal tinha idéia que minha vida daria várias guinadas em tão pouco tempo dali em diante, enfim, eu lembro de ter sonhado com um lugar e estado com alguém muito especial, eu deixei de deitar com um príncipe para salvar a história vazia que só eu vivia com um sapo desencantado... Mas eu ainda assim vivi a magia do lugar, dos olhares, das noites ao redor da fogueira, das cachoeiras, das bruxas serelepes que saltitavam pela mata e dos encontros com mestres encantados entre a fantasia e a realidade. Eu ardi em dor após aquela viagem, queimei na fogueira do descaso por dias e noites a fio, fui além do fundo do poço, meu corpo refletia toda minha intensa amargura ! Renasci como uma fênix perdida, mas ainda esperançosa, em busca de um espaço que fizesse sentido em algum lugar desconhecido. Conheci outra ilusão, cai ainda mais fundo, mas a dor não mais foi tão intensa, meu coração já estava calejado e soube me proteger da decepção, acompanhei avidamente a virada do milênio em busca de estrelas cadentes, encontrei na esquina mais estranha alguma coisa com coração, cresci ainda mais, me proibi de ser infeliz! Vivi dez anos em uma mera estação, de lá para cá tive momentos de toda sorte possível, mas jamais fui sozinha, porque construí o meu lugar, com lágrimas e sonhos, com vendavais e fantasias, mas, ainda assim, meu lugar, e nem mesmo a pessoa mais encantada que comigo esteve pôde ser capaz de lá entrar, muito menos de lá tirar uma gota da minha paz. Sim, agora estou na minha máquina do tempo. E nada nem ninguém pode tirar o que nem eu mesmo possuo, pois está intrínseco na minha própria natureza existencial.

2 comentários:

carolina disse...

amor é lindo seu blogg é perfeito ! DIVULGA ele,nossa muuito mara mesmo,minhas amigas amaram se td mundo conhecesse ia ser sucesso de best seller kk'

LeLê CarnevaLLi disse...

Adoreiiii !
Posta maiis !
Beiiijos.


www.lelezinhapatty.zip.net